Premium Contabilidade Assessoria e Auditoria

Contabilidade no Distrito Federal

Abertura de Empresa

Terceirização: Oportunidade de Negócios

 

Quem é proprietário de uma empresa de terceirização de serviços tem motivos para comemorar com a Lei Federal n.º 13.429, publicada em 31 de março deste ano. Ao alterar as regras de relações trabalhistas envolvendo terceiros, o texto abriu oportunidades interessantes para quem atua nesse segmento. Você está preparado para agarrar a sua?

 

A nova Lei da Terceirização

 A nova legislação já foi assunto aqui no blog da ContaAzul, quando apontamos que as mudanças tendem a ser positivas para os pequenos empresários que souberem aproveitá-las.

 A principal modificação diz respeito à permissão para uma empresa terceirizar a sua atividade-fim, ou seja, contratar outra pessoa jurídica para realizar o serviço através do qual ela se lançou no mercado. Antes da Lei da Terceirização, só era permitido terceirizar uma atividade-meio, que não era diretamente relacionada ao negócio.

 

Vamos entender melhor com um exemplo?

 Imagine uma empresa de floricultura e jardinagem. Antes da lei, ela podia contratar serviços de contabilidade, de informática, de limpeza e qualquer outro não relacionado com floricultura e jardinagem. Agora, se quiser, pode se concentrar na venda de flores e terceirizar os serviços de jardinagem para outra pessoa jurídica por um prazo de 180 dias, prorrogáveis por mais 90.

 

Mas por que isso pode ser benéfico para as pequenas empresas?

 A principal vantagem está na redução de custos, já que a terceirização pode diminuir o peso da folha de pagamento. Como os encargos trabalhistas são devidos pela empresa contratada e não pela contratante, teoricamente, é possível realizar a mesma atividade gastando menos.

 

E por que isso desagradou várias entidades da classe trabalhadora?

 No caso da empresa de floricultura e jardinagem, por exemplo, ela não era obrigada a registrar em carteira os trabalhadores que realizavam a limpeza ou a manutenção de computadores, por exemplo, mas tinha esse compromisso com os colaboradores que atuavam diretamente na venda de flores e nos serviços de jardinagem.

 A partir da nova lei, essa empresa não precisa registrar ninguém em carteira, se assim entender que essa é a melhor estratégia para o negócio. É por isso que muitos defendem que a Lei da Terceirização pode reduzir o número de postos de trabalho no Brasil.

 

Empresa de terceirização de serviços cresce como negócio

 Discussões e polêmicas à parte, parece óbvio que a nova lei abre oportunidades para contratantes e contratados. E se você já tem uma empresa de terceirização de serviços, pode ganhar ainda mais com as mudanças.

 Esse é um modelo de negócio que ganha força a partir da alteração das regras, seja qual for o serviço que ofereça aos seus clientes. Afinal, se antes seu público-alvo era apenas pessoas físicas e jurídicas que eventualmente dependiam do seu trabalho, agora se somam a ele os próprios concorrentes, cuja necessidade pode ser permanente.

 Pense bem: se você tem uma pequena empresa de prestação de serviços de frete, por exemplo, de certa forma disputa o mercado até com as grandes transportadoras do país. E essa é uma concorrência muito difícil, porém agora você pode se candidatar a realizar esse serviço para elas em sua região.

 Mas aí você pode concluir que quem fica com o crédito pelos bons serviços executados é a grande empresa e não a sua. É verdade, mas que tal analisar de outra forma? Você pode dizer ao seu cliente que seu trabalho é tão bom que foi contratado por tal empresa, que confiou a você a demanda.

 E há ainda outro bom argumento: isso atesta que contratar você garante a mesma qualidade do serviço da grande transportadora por um preço mais baixo, já que não há “intermediários”.

 

Como crescer a partir da nova legislação

 Tudo o que falamos até aqui são possibilidades. O que vai determinar se a nova lei será mesmo positiva para a sua empresa de terceirização de serviços é a forma como você irá se planejar para tirar proveito das oportunidades.

 Para definir a sua estratégia, há algumas questões que precisa responder. E é sobre elas que falaremos agora.

 

Qual a demanda?

 Você precisa entender que lacunas o mercado atual oferece e que você pode se candidatar a preenchê-las. A melhor forma de entender a demanda existente é conversando com seus clientes para compreender o cenário no qual está inserido.

 

Qual a tendência?

 Da mesma maneira que você deve analisar o presente, é preciso olhar para o futuro. O desafio é identificar onde estão as tendências do mercado diretamente relacionadas ao seu segmento atual ou próximas dele. Dependendo do que encontrar, pode ser interessante se preparar para ampliar os serviços oferecidos, atraindo potenciais clientes de um nicho semelhante.

 

É compatível?

 Você pode adicionar uma atividade secundária a qualquer momento, afinal, a legislação permite isso. Também realizar serviços de diversas naturezas permite que sua empresa avance no mercado. Mas antes de dar esse passo, avalie as consequências. Para tanto, é fundamental consultar seu contador.

 Nunca é demais lembrar que a escolha equivocada de um código CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) pode direcioná-lo tanto a uma atividade impeditiva ao Simples Nacional como elevar a alíquota de impostos que você deve recolher.

 

É viável para você?

 Pode não parecer, mas uma postura empreendedora ousada está tão próxima do sucesso quanto do fracasso. Não basta ter audácia para arriscar caso não se garanta naquilo que oferece. Ou seja, não dê um passo maior que a perna.

 Primeiro, assegure que sua atual demanda seja atendida de maneira totalmente satisfatória. Depois, avalie se pode (e como pode) ampliar seu mercado e manter a qualidade do que oferece. Para que a ideia seja viável, é fundamental tornar a sua empresa mais produtiva e estar pronto para contratar sem alterar a excelência na gestão de pessoas.

 

Planeje o seu crescimento

 As oportunidades geradas a partir da Lei da Terceirização estão na mesa, mas o banquete não é para todos. O otimismo é grande - 41% dos pequenos empreendedores acreditam no aumento do faturamento com o fornecimento de serviços terceirizados, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) -, mas não se deixe contaminar pela euforia.

 Como você viu neste artigo, uma empresa de terceirização de serviços pode lucrar com a nova legislação, o que exige do seu gestor assumir o compromisso com o planejamento.

 Assim, dedicar-se à análise do mercado é obrigação, mas o primeiro passo deve ser garantir a eficiência naquilo que faz hoje, tanto na operação quanto na gestão da empresa.

MERCADO CONTÁBIL

Premium: Contabilidade, Assessoria e Auditoria
Setor Comercial Sul, Quadra 01, Bloco "i", Salas 702, 703 e 704, Edifício Central, Asa Sul, Brasilia, DF 70304-900
Tel.: (61) 3964-9328 / 3244-4605 / 3224-4041 / 99279-1914 (claro)